Cirurgias Ambulatoriais realizadas no CBU!

Confira quais cirurgias ambulatoriais podem ser realizadas dentro do Centro Brasileiro de Urologia!

Em tempos de Pandemia provocada pelo Novo Coronavírus, muitos pacientes, mesmo com dor ou sintomas sugestivos de urgência, ficam receosos de buscarem ajuda médica em Hospitais. Sabe-se que a chance de contaminação dentro dos Hospitais é realmente maior, o que gera certa insegurança para os pacientes eletivos.  

Aqui no Centro Brasileiro de Cirurgia, além de realizarmos consultas médicas com todo cuidado de higienização necessário, temos um Centro de Cirurgia preparado para a realização de cirurgias ambulatoriais. Conheça mais sobre a infra estrutura do CBU clicando aqui.

Se você necessita realizar um destes procedimentos, mas não gostaria de fazer em hospitais, aqui no CBU você pode realizá-los com conforto e segurança.

Cirurgias realizadas no Centro Brasileiro de Urologia:

Vasectomia

Reversão de Vasectomia

Vasovaso anastomose

Biposia de edpididimo

Drenagem de abcesso escrotal

Epididinectomia

Epididimovasoplastia

Exérese de cisto de epididimo

Exérese de cisto escrotal

Plástica de bolsa escrotal

Biopsia de pênis

Doença de peyrone

Eletro coagulação de lesão cutânea

Correção de Epispadia

Implante de prótese peniana.

Cirurgia de fimose

Tumor de testículo

Biopsia de testículo.

Hidrocele

Implante de próstese testicular

Cirurgia de varicocele

Biopsia de bexiga

Cistolitotripsia

Cistostomia

Correção de incotinencia urinaria (SLING)

Pólipo vesical cauterização

Retirada endocospica de duplo j

Tratamento da hiperatividade vesical

Colocação de duplo J

 Uretero litrotripsia distal a laser

Biopsia de uretra

Extração de corpo estranho da uretra

Estenose de uretra – Uretrotomia interna

Conheça mais sobre os Cirurgiões-Urologistas do CBU clicando aqui.

Faça uma Tele Orientação gratuita sobre o seu caso e a indicação ou não da cirurgia, assim como obtenha o valor da cirurgia e formas de pagamento se for o caso de cirurgia.

Para agendar uma consulta com um dos especialistas do CBU ligue para 3046-3690 ou clique aqui e faça o agendamento online.

 

Retirada de Cálculo Renal

Saiba como é realizada a cirurgia para a retirada de cálculo renal.

Como os cálculos se formam?

Dentro dos rins existem cerca de 1 milhão de néfrons  estruturas que funcionam como filtros, descartando o que não serve para o organismo e reabsorvendo o que lhe é benéfico, principalmente água.

Quando há pouca ingestão de líquido, ocorre uma concentração maior das substâncias que podem formar o cálculo. Quando ingerimos sal, os rins trocam o sódio presente nele pelo cálcio, liberando uma quantidade maior dessa substância, que é a causadora de cerca de 50% das pedras.

A pedra pode permanecer dentro do rim ou descer para o canal que leva a urina à bexiga, chamado ureter. Ambos os casos provocam dores fortes, seja quando a pedra se movimenta dentro do rim, seja quando o canal se contrai tentando empurrar a urina para a bexiga.

Vídeo de retirada de Cálculo Renal

No vídeo a seguir, vamos assistir a uma cirurgia bem sucedida para a retirada de cálculo renal com implante de duplo J, realizada pela equipe cirúrgica do Centro Brasileiro de Urologia.

Dr. Mario Delgado apresenta o quadro clínico do paciente de 43 anos que procurou a clínica com queixa de cólica renal. A primeira providência foi realizar uma tumografia para estudo e assim, foi identificado que esse paciente tinha dois cálculos: um no ureter e outro dentro do rim. No dia da cirurgia, o Dr. Felipe coordenou a cirurgia para a retirada dos dois cálculos. Num primeiro momento, a equipe médica preparou uma sonda para localizar o cálculo através de uma câmera endoscópica. O cálculo foi localizado e fracionado com laser. Em seguida, foram retirados os fragmentos do cálculo do corpo do paciente. A partir do momento em que não existiam mais resíduos, a equipe pôde inserir o catéter duplo J. Essa técnica é realizada para acomodar o ureter e evitar a dor após o procedimento cirúrgico. O catéter é retirado no período de 10 a 30 dias depois da cirurgia.

Consulte sempre um Urologista!

Para agendar uma consulta com um dos especialistas do CBU ligue para 3046-3690 ou clique aqui e faça o agendamento online.

Se desejar tirar dúvidas sobre a cirurgia de retirada de cálculo renal, agende já uma teleorientação sem custo.

Cirurgia de REVERSÃO de VASECTOMIA. Tire suas dúvidas!

O tão sonhado positivo da Reversão de Vasectomia

Anualmente, cerca de meio milhão de homens de várias partes do mundo optam pela vasectomia para não ter mais filhos. No entanto, entre 2 a 6% destes homens vasectomizados mudam de idéia depois, devido às circunstâncias, como um novo casamento, por exemplo. Esses casos de segundo casamento respondem por até 95% dos desejos de reversão de vasectomia. Os outros 5% são homens que se divorciaram e casaram novamente com a mesma mulher, melhoraram de situação financeira ou perderam um filho.

São muitas as histórias que ouvimos no consultório que fazemos casais buscarem pelo tão sonhado positivo no teste de gravidez por meio da reversão da vasectomia.

É possível reverter

Apesar de ser um procedimento definitivo, a vasectomia pode ser revertida com a ajuda de um médico especialista. A vasovasostomia, que é a reversão da vasectomia, é um procedimento muito utilizado para restaurar a fertilidade masculina.

Dica

Quanto mais cedo o paciente se arrepender, maiores serão as chances de conseguir engravidar a parceira.

Você sabia que a cirurgia de reversão da vasectomia que acontece até três anos depois de realizada a vasectomia, tem chances de sucesso de 97%?

Já quem resolveu reverter dez anos depois, o procedimento é bem-sucedido em 79% dos casos.

Ponto de atenção

Um dos fatores que impacta no sucesso dessa cirurgia é a idade da parceira, por exemplo. Isso porque depois dos 35 anos a fertilidade feminina sofre uma queda relevante.

Sendo assim, é importante avaliar as chances reais desse casal ter um bebê de forma natural.

Em geral, a cirurgia de reversão da vasectomia consegue restaurar a produção de espermatozoides em 90% dos casos, com taxas de gravidez de até 60%.

O papel do médico

Entendemos que a função do médico que trabalha com essa especialidade é conscientizar o casal dos prós e contras do procedimento.

Afinal, essa decisão muito importante para a vida de toda a família. Portanto, deve ser madura e tomada de comum acordo pelo casal.

Se desejar tirar dúvidas pontuais sobre a cirurgia de reversão de vasectomia, agende uma teleorientação sem custo.

O novo Coronavírus, atendimentos via Telemedicina e ações solidárias!

Em meio a Pandemia provocada pelo Novo Coronavírus, o mundo vive dias de tensão, preocupação e medo. Um primeiro alerta importante é o de manter a calma! Disseminar informações que não são verdadeiras e tomar medidas extremistas, ocasiona pânico na população como um todo, e tira o foco do que devemos fazer: seguir as recomendações dos órgãos de saúde. SEM aumentar! Sem instalar o CAOS!

Informe-se sobre o novo coronavírus, mas atente-se a fonte!

Estar informado é essencial para adotar medidas preventivas e também reativas, nos casos de contaminação. Escolha fontes confiáveis para ter acesso a informações reais. A seguir, você encontra um link para acessar o Informe da Sociedade Brasileira de Infectologia, onde poderá checar respostas às principais perguntas sobre o novo coronavírus.

https://www.infectologia.org.br/admin/zcloud/125/2020/03/a10bbe8ddf9cde769147d60d71b6167070428492465e82ee96bdf67f8d20a011.pdf

Em meio a Pandemia, gestos de solidariedade são bem-vindos!

Se você é jovem e saudável ajude vizinhos e colegas que estejam no grupo de risco (adultos com mais de 60 anos, doenças preexistentes como diabetes, doenças cardíacas e pulmonares, neoplasias, transplantados e indivíduos que fazem uso de imunossupressores). Vá aos supermercados, farmácias e hortifrutis; ajude-o a se vacinar contra a gripe comum; dê suporte emocional a esta pessoa: dicas de filmes, séries, vídeos, músicas e quaisquer entretenimento que possam apoiar a saúde mental do outro.

Como ficam os atendimento do CBU mediante a Pandemia provocada pelo novo coronavírus?

O CBU irá manter as suas atividades focadas no atendimento de casos Urológicos URGENTES sem deixar de dar assistência a casos eletivos. Sabemos como algumas doenças urológicas podem atrapalhar a qualidade de vida dos pacientes. Neste caso de paciente eletivos daremos prioridade a Telemedicina inicialmente.

Exemplos de complicações Urológicas urgentes: Dores nos Rins, Infecção Urinária, Traumas na região do testículo, Cólica Renal forte e complicações ou dores após procedimentos cirúrgicos.

Entendemos a necessidade vital dos nossos atendimentos, que beneficia pacientes que se encontram receosos, sobretudo os idosos e imunodeficientes, e necessitam de atendimentos urgentes, mas não podem ir até o PS para não correrem risco de contaminação com o novo coronavírus.

Em caso de dor ou urgência, entre em contato com o Centro Brasileiro de Urologia ou outra clínica de Urologia, conforme sua preferência, evitando os ambientes hospitalares. A princípio, nossos Urologistas tentarão resolver o caso dentro da clínica com toda a infraestruturaexistente, inclusive centro cirúrgico. Nos casos de maior complexidade, o paciente será encaminhado ao Hospital em acompanhamento de nossa equipe.

Para mais informações ligue para 3046-3690 ou clique aqui e faça o agendamento online.

Urologista ou Nefrologista, qual profissional devo buscar?

Pacientes que apresentam sintomas relacionados aos rins e bexiga podem ficar em dúvida em relação a qual especialidade procurar: Nefrologia ou Urologia?

Vamos começar entendendo o que faz ambas as especialidades!

Urologista

O médico Urologista, depois da medicina, fez residência em Cirurgia e se especializou em Urologia. Logo, ele é um cirurgião. Apto para tratar doenças urológicas e do trato urinário (rins, bexiga, uretra, próstata e genitália masculina), o foco da Urologia se dá nos procedimentos cirúrgicos, tais como a vasectomia, a reversão de vasectomia, cirurgia de fimose, remoção de cálculo renal, retirada de tumores, entre outras.

Nefrologista

O médico Nefrologista fez residência em clínica médica e se especializou em Nefrologia. É especialista no tratamento clínico das doenças renais, porém, em casos cirúrgicos, deve encaminhar o paciente a um Cirurgião Urologista. Exemplos de doenças renais tratadas por este profissional são: insuficiência renal, doenças autoimunes, hipertensão arterial, infecção urinária, cálculo renal, entre outras.

Qual profissional devo buscar?

Depende da sua necessidade! Se você é homem, acima de 40 anos, e deseja apenas marcar um médico para check up urológico, agende sua consulta com um Urologista. Se você já foi diagnosticado com alguma doença nos rins, cujo tratamento é clínico, busque por um Nefrologista.

Se você é mulher, com incontinência urinária, infecção urinária de repetição e outros sintomas que podem ser sugestivos de câncer na bexiga, busque por um Urologista.

Em caso de dúvidas, agende um horário com o seu médico de confiança e ele te dará o devido encaminhamento.

Aqui no Centro Brasileiro de Urologia temos ambos os especialistas, Urologista e Nefrologista, disponíveis para lhe atender. Para agendar uma consulta com um dos profissionais do CBU ligue para 3046-3690 ou clique aqui e faça o agendamento online.

Se desejar tirar dúvidas, agende uma teleorientação sem custo com um dos profissionais do CBU.

Perder Urina não é Normal!

Perder Urina não é normal! Dia Mundial da Incontinência Urinária – 14 de Março

Os sintomas urinários como a incontinência, a vontade incontrolável de urinar à noite, o gotejamento e a urgência são indícios de que algo pode estar errado na bexiga ou na próstata. E infelizmente, muitos pacientes ignoram os sintomas e passam anos sem buscar ajuda médica.

Urinar assim é normal? Campanha da SBU!

Com o objetivo de conscientizar as pessoas sobre os sintomas e tratamentos das disfunções miccionais, a Sociedade Brasileira de Urologia criou a Campanha “Urinar Assim é normal?”

No dia 14 de Março é celebrado o Dia Mundial da Incontinência Urinária. No Brasil, 1 em cada 2 mulheres acima dos 40 anos possui incontinência urinária, enquanto 1 em cada 6 homens apresenta a disfunção. Consiste na perda involuntária de urina e pode ser um fator de constrangimento ao indivíduo, que acaba por modificar a sua vida social mediante o problema. É um problema que tem algumas possíveis causas. As mais comuns são:

Incontinência Urinária de Esforço:

Perda de urina ao tossir, espirrar, ou realizar qualquer outro esforço, como por exemplo a prática de atividade física. No caso deste tipo de incontinência, os principais fatores de risco são: ter muitos filhos, obesidade, tosse crônica e ter passado por cirurgias ginecológicas ou neurológicas previamente.

Incontinência Urinária de Urgência:

Vontade repentina de urinar, fazendo com que o indivíduo se direcione ao banheiro com urgência, provocando certos escapes de urina.

Diagnóstico e tratamento:

Os tratamentos para a incontinência urinária são diversos, tais como: a fisioterapia pélvica e mudanças comportamentais do paciente (forma de urinar e evacuar), medicamentos, equipamentos de alta tecnologia para fortalecimento da musculatura interna da pelve e também existem casos cirúrgicos.

Grande parte dos sintomas urinários são pouco diagnosticados, já que a maior parte dos brasileiros não procura o médico especialista.

Hoje em dia, esta queixa tem fácil tratamento e com excelentes resultados. Não deixe de procurar um Urologista se você apresenta os sintomas mencionados.

 Para agendar uma consulta com um dos especialistas do CBU ligue para 3046-3690 ou clique aqui e faça o agendamento online.

Se desejar tirar dúvidas, agende uma teleorientação sem custo com um dos profissionais do CBU.

Distúrbios de Ejaculação, o que são?

A ejaculação consiste no processo de liberação do fluido seminal, rico em espermatozóides. Ocorre no final do ato sexual ou da masturbação, junto ao orgasmo, com intensa sensação de prazer.

Diversos problemas podem acometer o homem durante sua relação sexual, representando certa frustração e baixo estima. Baixa libido (desejo sexual), disfunção erétil e distúrbios de ejaculação, são exemplos destas ocorrências.

Confira a seguir os possíveis distúrbios e consulte seu Urologista caso apresente qualquer um destes sintomas.

Ejaculação Precoce:

O homem ejacula antes da introdução peniana. Temos nesta área também a ejaculação rápida, em que o paciente ejacula rapidamente após a introdução do pênis. Isto pode ser psicológico ou orgânico, como no caso de homens com fimose e outras doenças genitais.

Ejaculação Retardada:

De forma oposta a precoce, este distúrbio é marcado pela dificuldade na ejaculação. É considerado um problema bastante raro entre os homens, mas que pode causar bastante insatisfação no parceiro. Nestes casos, o ato sexual leva muitos minutos, podendo causar dores e pouco prazer já que enquanto um dos parceiros já chegou ao orgasmo há tempo, o outro, não é capaz de chegar.

Esta condição de ejaculação inibida é definida após 6 meses de dificuldade ou incapacidade de ejacular.

Ejaculação Retrógada:

Nestes casos, o fenômeno ocorre normalmente, inclusive a sensação de ejacular do indivíduo,  porém, o conteúdo ejacula é direcionado a bexiga, e posteriormente, eliminada na urina. Ocorre devido a falhas no fechamento do colo vesical ou problemas neurológicos (lesão da medula espinhal, esclerose múltipla, efeito colateral de medicações, entre outras).

Anejaculação:

Ausência total da ejaculação. O problema pode ocorrer por falhas na produção ou na estocagem do conteúdo ejaculado. As causas podem ser congênitas, como ausência de vesículas seminais ou glândula prostática, conseqüências de cirurgias realizadas na região (como no caso de danos a nervos) ou questões psicológicas.

Consulte SEMPRE um Urologista.

Para agendar uma consulta com um dos especialistas do CBU ligue para 3046-3690 ou clique aqui e faça o agendamento online.

DSTs – Esteja atento neste CARNAVAL!

Carnaval é época de festa, dança e curtição! O nosso alerta é em relação a contração das DSTs. Em meio a tanta empolgação, os foliões podem se esquecer do preservativo e terem relação sexual sem proteção.

Conheça melhor os riscos envolvidos e esteja atento neste feriado e sempre!

O que são as DSTs?

As DSTS, Doenças Sexualmente Transmissíveis, são causadas por diferentes vírus, bactérias e outros microorganismos e podem ser transmitidas por diversas vias. Durante o sexo (inclusive o oral), o beijo, ferimentos e machucados, bolhas ou verrugas e até mesmo compartilhando objetos de uso pessoal, como toalhas, batons, seringas.

Tipos de DSTs:

As DTSs podem ser desde as mais comuns e baixo risco como o Herpes e o HPV, passando por doenças como: Clamídia, Gonorréia, Sífilis, Tricomoníase, Aids e etc.

A maioria das DTSs não apresentam sintomas em homens e mulheres, e por isso, muitos pacientes contraem os vírus e nem se dão conta.

DSTs ou ISTs?

Nos últimos anos, o termo IST, Infecções Sexualmente Transmissíveis, tem sido utilizado em substituição ao termo DSTs. Esta troca surgiu para evidenciar a possibilidade de um indivíduo ter uma das doenças, não ter ciência, por não apresentar sinais ou sintomas e ainda sim transmitir a infecção.

Como prevenir e diagnosticar?

A principal forma de transmissão das ISTs são pelo sexo (vaginal, anal e oral).

Pelo fator assintomático das DSTS, é muito importante ir ao médico e realizar exames caso tenha feito sexo desprotegido. Algumas destas doenças, quando não diagnosticas e tratadas rapidamente, podem levar a morte.

Em caso dúvidas ou sintomas, consulte um médico especialista. É importante lembrar a importância de repetir exames com certa periodicidade. Alguns vírus demoram a ser identificados, já que para isso é preciso aguardar o tempo do organismo iniciar a produção de anticorpos.

Para agendar uma consulta com um dos Urologistas do CBU ligue para 3046-3690 ou clique aqui e faça o agendamento online.

Fimose, Parafimose e Balanopostite – Quais as diferenças?

Entenda a diferença entre a fimose, parafimose e balanopostite e saiba o que fazer em cada um dos casos.

A fimose é uma condição bastante comum entre homens de todas as idades, mas principalmente na infância. A seguir, te explicaremos a definição de cada uma das complicações.

FIMOSE

A fimose é o excesso de pele que cobre o pênis e dificulta a exposição da glande (cabeça do pênis). Pode ocorrer desde o nascimento ou surgir em uma outra fase da vida do homem. Esta condição, assim que identificada, precisa ser tratada, já que pode se transformar em uma complicação maior, como inflamações e infecções locais, dores e até mesmo aumenta-se a chance de desenvolver DSTs e câncer de pênis.

 O tratamento da fimose, na maioria dos casos, é cirúrgico, em que é retirada esta pele prepucial incoveniente.

PARAFIMOSE

A parafimose é praticamente o oposto da fimose, pois ocorre quando o indivíduo é capaz de expor a sua glande, porém não consegue retornar com o pênis em suas condições normais. Precisa ser tratada de forma rápida, já que o anel fimótico pode causar um estrangulamento da glande. É considerada uma urgência médica, pois quando a glande está pressionada, prejudica-se a circulação sanguínea local, podendo comprometer as funções do órgão. No hospital, o paciente será submetido a manobras manuais, ou em últimos casos, a cirurgia para recorte da pele.

Uma das principais causas da parafimose é a tentativa de massagear o pênis para tratar a fimose. Por isso, não é recomendado nenhum tipo de exercício no tratamento.

BALANOPOSTITE

A balanopostite é uma infecção que ocorre na glande (cabeça do pênis) e no prepúcio. Pode causar mau cheiro, vermelhidão, inchaço e dor local. Geralmente é causada por fungos e seu tratamento é composto de cremes tópicos com corticóide associados a medicação oral (antifúngicos e/ou antibióticos).

A principal forma de evitar a balanopostite é realizando a cirurgia de fimose. Em alguns casos, mesmo que o paciente não apresente a fimose, pode ser indicada a cirurgia para retirada da pele prepucial.

Em caso de sintomas e dúvidas, consulte SEMPRE um Urologista.

Para agendar uma consulta com um dos especialistas do CBU ligue para 3046-3690 ou clique aqui e faça o agendamento online.

Se desejar tirar dúvidas, agende uma teleorientação sem custo com um dos profissionais do CBU.

O que é o novo Coronavírus?

Quais as características do novo coronavírus e o que esperar em relação as suas manifestações? Confira!

Após suspeitas de casos de pacientes contaminados pelo coronavírus, originário da China, aqui no Brasil, a preocupação começa a surgir na população e muita informação equivocada se prolifera. Entenda melhor o que é este vírus, suas manifestações, sintomas , transmissão e compartilhe informações verdadeiras com colegas e familiares.

O que é o novo coronavírus?

É uma variante do vírus corona, que compõe uma grande família de vírus. Podem causar desde um resfriado comum até síndromes respiratórias graves, como a síndrome respiratória aguda grave (SARS, do inglês Severe Acute Respiratory Syndrome) e a síndrome respiratória do Oriente Médio (MERS, do inglês Middle East Respiratory Syndrome). Os vírus foram denominados SARS-CoV e MERS-CoV, respectivamente.

Os coronavírus podem ser transmitidos entre animais e humanos?

Sim. Já possuem comprovações de transmissões através de gatos selvagens e dromedários, na China e na Arábia Saudita, e outros répteis e mamíferos, como serpentes e morcegos.

A transmissão do coronavírus acontece entre humanos?

Sim. Alguns coronavírus são capazes de infectar humanos e podem ser transmitidos de pessoa a pessoa pelo ar (secreções aéreas do paciente infectado) ou por contato pessoal com secreções contaminadas.

Quais são os sintomas de uma pessoa infectada por um coronavírus?

Pode variar desde casos assintomáticos, casos de infecções de vias aéreas superiores semelhante ao resfriado, até casos graves com pneumonia e insuficiência respiratória aguda, com dificuldade respiratória. Crianças de pouca idade, idosos e pacientes com baixa imunidade podem apresentar manifestações mais graves.

Como ocorre o contágio e qual é a gravidade do novo coronavírus?

Não se sabe até o momento. Alguns vírus de transmissão aérea são altamente contagiosos, como o sarampo, enquanto outros são menos. Ainda não está claro com que facilidade o 2019-nCoV é transmitido de pessoa para pessoa. Até que tenhamos esta informação mais acurada, recomenda-se que as precauções e isolamentos sejam adotados. Quanto à gravidade, devemos acompanhar a evolução da epidemia. Pelos dados iniciais publicados, a estimativa inicial é de que a letalidade seja em torno de 3% (26 mortes em 912 casos), inferior à do SARS-CoV e do MERS-CoV.

 Como reduzir o risco de infecção pelo novo coronavírus?

– Evitar contato próximo com pessoas com infecções respiratórias agudas;

– Lavar frequentemente as mãos, especialmente após contato direto com pessoas doentes ou com o meio ambiente e antes de se alimentar; 

– Usar lenço descartável para higiene nasal;

– Cobrir nariz e boca ao espirrar ou tossir;

– Evitar tocar nas mucosas dos olhos;

– Higienizar as mãos após tossir ou espirrar;

– Não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas;

– Manter os ambientes bem ventilados;

– Evitar contato próximo com animais selvagens e animais doentes em fazendas ou criações.

Em caso de sintomas, consulte imediatamente um médico infectologista especialista.

 

FONTES: Ministério da Saúde do Brasil / Organização Mundial da Saúde (OMS) / Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC).