Fimose

Cirurgia de Fimose

Fimose é a dificuldade ou mesmo a impossibilidade de expor a glande, seja porque o prepúcio (a pele que recobre a glande, a cabeça do pênis) tem um anel muito estreito ou porque possui excesso de pele prepucial. Desta forma a glande fica mais sensível, friável e de difícil higienização.

Causas de fimose:

  • Congênita: Quando a criança nasce com a pele do pênis fechando e impedindo a exteriorização da glande.
  • Adquirida: Mais comum em adolescentes, adultos e até mesmo em idosos. Ocorre quando múltiplas infecções da pele prepucial e da glande geram um machucado que, quando cicatriza, fecha cada vez mais a pele o que em alguns casos pode até mesmo impedir a exteriorização da glande que antes saía facilmente.

Tipos de fimose:

  • A - Grau 1 = impede a exteriorização completa da glande
  • B- Grau 2 = possibilita apenas a exteriorização de uma pequena parte da glande
  • C- Grau 3 = possibilita a exteriorização quase completa da glande
  • D- Grau 4 = a glande fica exteriorizada com o pênis ereto, porém em repouso ela fica completamente coberta pela pele, retendo umidade e secreção.

Consequências da fimose:

  • Balanopostite: Infecção da pele e da glande causada pelo excesso de pele
  • Ejaculação precoce: Na fimose grau 4 a pele recobre a glande totalmente tornando-a muito sensível. Durante a relação sexual, quando a pele retrai, a glande sensível é hiperestimulada ao tocar na genitália feminina acelerando a ejaculação.
  • HPV: O excesso de pele retém secreções facilitando infecções bacterianas e virais. 60 % dos casos de HPV ocorrem devido a fimose.
  • Câncer de pênis: As múltiplas lesões causadas pela fimose favorecem o aparecimento do câncer de pênis. Após a cirurgia de Postectomia o risco de câncer de pênis reduz a próximo de zero.

Tratamento:

O tratamento pode ser cirúrgico ou com uso tópico de cremes à base de corticóide.
Não é indicado fazer "exercícios ou massagens" para ajudar a "abrir" o anel da pele, pois isto pode causar microtraumatismos com dor, inflamação local e até sangramentos, e a cicatrização pode agravar o estreitamento da pele.
O tratamento cirúrgico é o tratamento definitivo, pois além de retirar o anel fibrótico retira um pouco dessa pele, deixando a glande exposta. Isso permitirá uma higiene satisfatória e diminuirá os riscos de inflamações do prepúcio e de doenças sexualmente transmissíveis além de reduzir o risco de câncer de pênis. Já o tratamento com corticóide promove apenas o relaxamento do anel da fimose, o que permite a exposição da glande, porém não trata o excesso de pele.

Vantagens do tratamento cirúrgico:

  • Permitir a higiene adequada do pênis.
  • Permitir um relacionamento sexual satisfatório.
  • Evitar ou corrigir a parafimose
  • Diminuir o risco de balanopostites (infeções do prepúcio e glande), infeções urinárias, doenças venéreas e do câncer no pênis.
  • Diminuir o risco de infecção por todas as doenças sexualmente transmissíveis como HIV, uretrites e HPV (verrugas penianas).
  • é importante reforçar que a postectomia não é uma cirurgia estética e sim um tratamento eficiente para uma doença que pode levar a sérias consequências se não tratada de forma adequada.

Orientações pré-operatórias:

  • Jejum de 2 horas.
  • Tricotomia (raspar todos os pelos do escroto e pênis).

Orientações para o seu pós-operatório:

  • Ao chegar em casa faça compressa gelada por 2 horas.
  • Tome as medicações conforme orientado.
  • Evite atividades físicas e relação sexual até alta do seu médico.
  • Agende um retorno em 2 semanas.
  • Vamos acompanhar o seu pós-operatório até a sua completa recuperação.
  • Curativo: Mantenha o curativo por até 4 dias no seu pós-operatório. Após este período troque o curativo diariamente como orientado até a queda dos pontos.


Pré-agende sua cirurgia de Fimose:



Para maiores informações entre em contato com o Centro Brasileiro de Urologia ou agende uma consulta para esclarecer suas dúvidas pelo telefone 11 2338-3600.